2012 Pode ser bom.

Respirar um pouco de ar velho ouvindo aquilo que você descobria em 2002 pode ser uma boa ideia. Dizer que você ama ou que não ama ou que se arrepende ou que poderia ter sido de outro jeito pode salvar um ano. Correr três vezes por semana pode evitar as varizes. Pensar um pouco melhor naquilo que você come pode amenizar úlceras. Viajar para algum país distante onde se fala um idioma desconexo pode refazer conexões cerebrais. Trabalhar nas horas úteis e deixar as outras para inutilidades como abraçar os netos ou o cachorro ou comprar um video game pode fazer bem ao coração. Iludir os outros por tempo indeterminado pode não ser a melhor maneira de ser alguém melhor. Apagar os contatos daqueles com quem você trocou fluidos, contas telefônicas e insultos pode evitar dores de cabeça. Ler livros interessantes sobre a história do mundo e do próprio umbigo pode esvaziar a cabeça de um jeito bom. Fazer um curso de algum interesse secundário pode mudar a cor do seu círculo de amigos. Ter um filho pode ser a melhor coisa da sua vida. Comprar sapatos confortáveis pode garantir o sucesso de apresentações corporativas. Escrever para alguém pode abrir novos caminhos para uma vida menos previsível. Tomar os remédios no horário certo pode evitar o desenvolvimento de superbactérias. Respeitar o tempo das coisas pode prevenir a queda de cabelo. Pensar menos no passado pode desfazer rugas. Cantar no karaokê pode ser menos patético do que você imagina. Abraçar o pessoal do trabalho pode ser necessário (e legal). Se colocar no lugar do outro pode fazer você sentir menos raiva. Jogar baralho com sua avó pode fazê-la feliz. Começar a usar o despertador pacificamente pode organizar seu dia. Parar de procurar pode fazer seu amor chegar mais rápido.

2012 pode ser bom. Você pode ser melhor.

PS: Agora temos versões em inglês e espanhol, traduzidas respectivamente por Flavia Stefani e Paulina Gajardo. Um beijo grande nas duas!

*