Amamentando com o inimigo.

Posted by on Jan 28, 2011 in Blog, mãe | No Comments

Uma das coisas que eu mais ouvia falar quando grávida era dos perrengues da amamentação. Várias amigas-mães narravam histórias horríveis envolvendo mamilos rachados, dores infindáveis, o leite que não vinha e por aí vai. Sempre achei tudo isso muito estranho porque, na minha cabeça, amamentar deveria ser a coisa mais comercial de margarina do mundo. Margarina, né?

As primeiras mamadas da Luna correram relativamente bem por dois fatores: 1) eu estava altamente dopada por mil analgésicos e 2) fui orientada pela amamentóloga do hospital. Depois (em casa, onde não há enfermeiras e mimos) surgiram os primeiros problemas. O colostro que não dava conta do recado, dona Luna chupetando no meu peito e mamadas ineficazes que chegavam a durar até 2 horas. E dor. Muita, muita dor.

Nessas horas todo mundo tem seus segredinhos. Minhas amigas Anna Karina e a Paula recomendaram o Lansinoh, uma pomada americana que é lanolina pura e deve ser passada somente no bico do seio (senão você deixa a auréola escorregadia demais e ninguém consegue mamar nem com reza brava). Como a dita-cuja é superdifícil de encontrar, a Anna me mandou um tubinho que ela tinha em casa (valeu, Anna!). Essa foi uma das medidas.

Depois, as conchas, é claro. Falei delas no post anterior. As conchas para seios protegem e moldam os mamilos, por isso são melhores que os absorventes – e também coletam o excesso do leite que escapa. Outra dica boa é passar o próprio leite nos mamilos antes e depois das mamadas. Adotei essa medida também.

Juntei o Lansinoh às conchas, a orientação à paciência e fui. Não nego que chorei (gente, doeu pra burro!), mas hoje cá estou 10 dias depois, com os seios vivos, leite descendo e Luna mamando feliz. Voltei na amamentóloga, que fez algumas pequenas correções na minha postura, e saí de lá com uma nota 10. Mesmo quando se amamenta direitinho desde o começo, você e o bebê estão passando por um processo de adaptação. É normal passar por alguns apuros, mas é importante saber que PASSA. Definitivamente: amamentar é legal.

Enquanto eu chorava minhas pitangas no twitter, outras mães deram mais dicas (essas eu nem tive tempo de experimentar). A Cris falou de compressas de chá de camomila nos seios, a Mafê e a Anninha sugeriram os protetores de mamilos de silicone. Todas falaram do banho de sol (infelizmente não tenho onde fazer isso sem ser presa por atentado ao pudor) e a Dé recomendou acender uma lâmpada incandescente perto dos mamilos.

E você? Tem alguma história ou segredinho pra compartilhar com a gente? Comenta aí!

Leave a Reply