Babá X Berçário

Posted by on May 15, 2011 in Blog, mãe | No Comments

É chegada a hora. Com o coração partido em milhares de pedaços, tenho que decidir o que fazer com minha filha. Quem já passou por isso sabe que esse é daqueles momentos em que os palpiteiros de plantão afloram e ficam dando suas dicas ininterruptamente. Pois bem.

Eu trabalho na Bullet e o Fábio na Yabuland. Por um tempo até pensamos que Luna pudesse ficar em casa com o pai, mas agora, a quinze dias da minha volta ao batente, percebemos que não dá. A pequena ainda demanda muitos cuidados e não deixaria o papai trabalhar. E então: babá ou berçário?

Babá:
1. Precisa ser alguém da sua mais alta confiança, afinal, ela vai estar dentro da sua casa, cuidando do seu bem mais precioso.
2. É a babá quem vai brincar e estimular o pequeno. Vale orientá-la para fazer tudo direitinho.
3. Se a babá fala errado, a criança vai aprender a falar errado também. Mas não se desespere: seu filho vai aprender a falar certo com você. Criança tem disso, eles aprendem vários idiomas e sabem usá-los.
4. “Meu bebê vai gostar mais da babá do que de mim?” é o maior drama sofrido pelas mães. A resposta é não – a não ser que você seja muito má. Mas há uma coisa curiosa que os bebês fazem: eles costumam gostar de pessoas menos cultas. Pelo menos é o que dizem as pesquisas. A justificativa é que pessoas mais simples tendem a ser mais humanas e carinhosas, menos racionais.

Berçário:
1. Pode ter greve de ônibus ou onda de conjutivite, o berçário vai estar lá.
2. Você não precisa ensiná-los a estimular e cuidar do seu bebê – eles costumam ser experientes.
3. Lembre-se de que o melhor berçário é aquele que cuida direitinho do seu filho e, tão importante quanto isso, que fica perto da sua casa ou trabalho.
4. Como a concentração de crianças é alta, berçários costumam ser incubadoras de doenças. Se o seu bebê ainda não tem maturidade imunológica, vai ficar doentinho no ato.

Nossa decisão: babá. O motivo principal foi a questão das doenças. Toda criança vai ficar doente um dia, independente de ir para a escolinha ou não, mas se a gente puder adiar para quando ela for um pouco maiorzinha é melhor. Aí, quem sabe, uma gripe que seria pesada aos 4 meses vem mais leve com 1 ano e a pequena sofre menos. E também tem outra: se o bebê está no berçário e fica doente, quem é que vai cuidar dele em casa?

Conheço pais que optaram pela escolinha e foram felizes: seus bebês não adoeceram e tudo correu bem. Como sempre, cada caso é um caso e o importante é que todo mundo fique satisfeito com a vida voltando ao seu lugar.

Leave a Reply