Caixa postal.

Posted by on Jan 1, 2011 in Blog, eu que fiz, texto | No Comments

Oi, essa é a minha caixa postal. Deixa o seu recado que eu retorno depois, prometo.

**

Oi, Ângela… Liguei pra te desejar um Feliz Natal e um Ano Novo bom também, com muita paz e saúde pra você. Pelo visto você não pode falar agora, ou então isso é coisa dessas operadoras que não servem pra mais nada, considerando que nem se falar a gente consegue mais. Então, ó: tudo de bom aí, viu? Alegria, dinheiro, amor, né? Sabe, Ângela, essas bobagens… Não que sejam bobagens, mas, ah, sabe? Isso aí que todo mundo deseja pra todo mundo e no fim das contas acaba não fazendo diferença nenhuma. No ano passado todo mundo me desejou tudo isso aí: minha família, o pessoal do trabalho, do clube, mas eu tive um baita ano de merda. O maior de todos. Acho que o Ano Novo é meio que um descanso de tela pra gente fazer de conta de que vai ser tudo diferente por alguma razão. Mas é a gente que faz ser diferente, né, Ângela. Tipo você, que resolveu inventar moda e ir pro outro lado do país. Bom pra você, bom pra você. E pra mim… pra mim, não. Eu… Ângela, sua puta, eu te odeio tanto e te amo tanto e, merda, dói. Desculpa. Desculpa, eu sou um idiota e toda essa estupidez vai ficar gravada na sua secretária eletrônica. Tá. Mas tudo bem: tem um ano começando agora e você vai ser feliz e eu também porque é o que todo mundo deseja e hoje eu vou tentar acreditar um pouco. Eu vou, sim. Tudo de bom.

Leave a Reply