Cumplicidades do Destino.

Posted by on Sep 9, 2012 in Blog, eu que fiz, vida | No Comments

_Oi, que saudade!
_É mesmo, como você tá?
_Legal, legal. Tô morando aqui agora.
_Nossa, e como tá sendo isso?
_Como tá sendo… hahaha válido.
_Válido é bom, né?
_É. É melhor que essa música que tá tocando, pelo menos.
_Me disseram que esse lugar era indie e tal. Não sei não, viu?
_Até é. Às vezes. É que agora vem muito turista e como aqui é praia, não dá pra não tocar reggae.
_Uma pena. Quem é ela?
_Ah, ela é a minha namorada.
_Que fofa. Faz tempo que vocês estão juntos?
_Não, não. Ela é daqui.
_E você está feliz?
_Não sei. Você está?
_Também não sei. Voltei para o Brasil agora.
_Namorando?
_Não, não.
_E gravou um monte de músicas novas, que eu vi.
_Só de brincadeira. Um dia ainda vou gravar como você.
_Pô, grava comigo. Que honra!
_Eu gravo, ué. É só me chamar. Quer um cigarro?
_Não, não eu não fumo.
_Claro que você não fuma: você é todo fofo.
_Que bobagem.
_Olha, eu vou ali com o pessoal porque parece que eles querem ir pra outro lugar. Vocês não querem vir com a gente?
_Ah, é que não dá.
_Por quê?
_É que ela está aí com umas amigas e tem essa despedida da menina da turma dela.
_Ah, tem?
_É.
_E eu também nem vou ficar muito mais porque tem trabalho amanhã e preciso acordar cedo.

(E também tem isso de eu te amar.)

_Ah tá, então deixa. Quem bom te ver assim de surpresa.
_Parece que a gente só se vê de surpresa.
_Acho chique. Se cuida.
_Você também. E não pára de cantar.
_Não paro nunca.

(Pra você, nunca.)


 

Leave a Reply