Dicas da Gica: Buenos Aires

Posted by on Nov 1, 2010 in Blog, dica da gica | No Comments

Tive o prazer de conhecer a capital argentina no finzinho de 2008. Passei uma semana por lá, descobrindo coisinhas deliciosas de Buenos Aires. Já que as férias estão aí, resolvi compartilhar algumas dicas que podem deixar sua viagem mais legal.

1. Onde ficar

O objetivo da nossa viagem era ver coisas legais (e, na medida do possível, comprar essas coisas, é óbvio). O Fábio já conhecia a cidade, então ficou fácil. Nosso ninho ficou em Palermo, o bairro que reúne boemia, design, gastronomia e gente descolada. Uma grande sacada do meu marido foi ter alugado um apartamento ao invés de reservar um hotel. Isso é bem comum por lá: os hermanos saem de férias e alugam suas moradias para os turistas. É um jeito delicioso de economizar uma bela grana e ainda viver a cidade como se você fosse de lá mesmo. Nosso apartamento era bem pequeno, mas tinha tudo o que precisávamos. A agência em que alugamos foi essa aqui, e deu tudo certinho.

2. O que fazer

Sinceramente? Comer, comprar roupas, acessórios e outras coisas fofas, tomar MUITO sorvete, beber vinho e, sim, cortar o cabelo – o que nos leva a minha próxima dica.

3. O salão mais legal • Juan X Fín – pelos de autor • Honduras 5174, Palermo Soho.

Repare nos cabelos argentinos: são os melhores. Desde que pousei meus pezinhos em Buenos Aires fiquei com coceiras para aparar as madeixas. Depois de muito bater perna por Palermo, descobri um salão simplesmente sen-sa-cio-nal: Juan X Fín – pelos de autor. A decoração é linda, os profissionais são excelentes e o precinho, miagente, inacreditável. Quando passei por lá, fiquei com cabelo hype por míseros 30 pesitos. E ficou uma maravilha, olha só:

4. A loja mais fofa • Sopa de Príncipe • Thames 1719, Palermo.

De longe, a Sopa de Príncipe é a campeã. Uma loja que é fábrica de bonecos artesanais. Lá você encontra toys lindos de morrer, com um diferencial todo especial: os bonecos têm cheirinho de baunilha – uma delícia. Isso sem falar da dona, a Veronica, que é a simpatia em pessoa. Trouxemos o Hector de lá :}

5. Os óculos mothefuckin’hypes • Abrí los Ojos • Esquina Honduras & Thames, Palermo.

Infinit é o nome da marca. Abrí los Ojos é como se chama a loja-conceito deles. Quando estive lá, quase precisei acionar os paramédicos. As coleções são de passar mal, acredite. Foi lá que comprei meus óculos favoritos:

6. A fantástica fábrica de papéis • Papelera Palermo • Honduras 4945, Palermo.

Se a Amelie Poulain tivesse uma papelaria, seria a Papelera Palermo. Tudo é artesanal e absurdamente lindo: dos papéis de presente aos cadernos, das caixas aos scrapbooks. Em compensação, foi o único lugar em que tive que tomar cuidado com os gastos: é bom ser comedido porque os itens são compreensivelmente salgados.

7. As livrarias

El Ateneo Grand Splendid • Av. Santa Fe 1.860.

Todo mundo vai dizer pra você visitar El Ateneo. Não é por menos: os caras construíram uma livraria dentro de um antiquíssimo teatro. A livraria é imensa, tem milhares de títulos e um café piano bem em cima do finado palco.

Boutique del Libro • Thames 1762, Palermo

Infinitamente menor que o Ateneo, a Boutique del Libro ganha pelo charme. Pequenina e aconchegante, fica em Palermo e concentra títulos de arte e literatura. É uma graça e tem um café gostosinho: vale provar.

8. Comer & Beber

Para o café-da-manhã: Bar Seis • Armenia 1676, Palermo.

O Bar Seis funciona o dia inteiro, mas preferi usá-lo para tomar café-da-manhã. Com opções que vão desde desayunos leves até os mais reforçados, o lugar é uma delícia para encher a barriguinha ouvindo uma boa música, aproveitando o ar condicionado – se você for verão, fará toda a diferença – e WiFi.

Para passar o tempo: Como te extraño, Clara • Borges 1660, Palermo.

Um dos nomes de estabelecimento mais legais que vi por lá. Como te extraño, Clara é o bar-café-restaurante que tem nome de livro. O lugar é uma graça: você pode ficar dentro do salão ou nas mesinhas do quintal de trás.

Para jantar:  La Chueca • Honduras 5255, Palermo.

Os pães recém-saídos do forno tornam o couvert irresistível. O risoto de funghi é de comer de joelhos. O restaurante é adorável e tem uma coisa que eu amo: mesinhas na calçada. A quem interessar possa, é gay friendly.

Para jantar sem calcinha: Te mataré, Ramirez • Gorriti 5054, Palermo.

Um restaurante afrodisíaco no meio de Palermo, miagente. Divirta-se com as performances diárias (porn stand up, show de marionetes safadinhas e muito mais) e com os pratos de nomes megasugestivos. Se me lembro bem, comi alguma coisa ao molho de suor da virgem.

Para o café-da-manhã das estrelas: Faena Hotel • Martha Salotti 445, Puerto Madero.

Se você tiver com pesos sobrando, leve este tópico para o “Onde Ficar”. Se você não estiver com a bola toda (como foi o nosso caso), dê uma passadinha no hotel decorado pelo *confetes* Philippe Satrck *confete*. Na ocasião, pagamos 70 pesos por um brunch maravilhoso e ainda demos um giro pelo hotel. Tomara que você dê sorte e tome o café-da-manhã no Salão dos Unicórnios.

Gente, essas são as minhas dicas de Buenos Aires. Espero que sejam úteis! Se alguém tiver algo a acrescentar, é só compartilhar aí nos comentários.

Leave a Reply