Dona Esperança

Posted by on Feb 9, 2015 in Blog, eu que fiz, texto, vida | One Comment

Vamos entrando, Dona Esperança, e tire os sapatos. Água? Café? Chá? Nada mesmo? Me pergunto como será a vida de quem recebe suas visitas diariamente. Não sei como lidaria. Não sei se eu continuaria sendo uma pessoa considerada nos meus círculos sociais porque sempre pensei que um pouco da minha desesperança e do meu pragmatismo que me fizessem parecer lúcida, sólida e outras proparoxítonas respeitáveis. Talvez eu tenha errado, Dona Esperança e, cá pra nós, vou te contar que eu estou achando bom ter percebido esse erro a tempo. A tempo de notar que esses círculos sociais são menos importantes do que a Dona Insegurança projetou aqui. Dona Insegurança é quem comanda as coisas por aqui quando você não está. Funciona, mas também cansa. Gasta. Aprisiona. Dona Esperança, olha eu me abrindo aqui pra você, não repara. É que você ouve e não julga e não estou muito bem acostumada com isso. Certeza mesmo, Dona Esperança? Água? Café? Chá? Dona Insegurança sempre pede os três juntos. E comida. E dinheiro. Viu? Não estou acostumada. Dona Insegurança também fica mais confortável quando senta sobre minhas costas. Não é à toa que estou toda à vontade – até posso respirar. Dona Esperança, obrigada por vir e digo mais: venha sempre que quiser. Volte sempre, por favor.

1 Comment

  1. sarah
    06/04/2015

    https://vimeo.com/41211482

    Sobre esperança e expectativa!
    Acho interessante o que tu escreves, apenas gostaria de compartilhar esse video contigo para termos uma outra visão ou outro lado sobre a esperança!
    Bjs

Leave a Reply