Nova temporada.

Posted by on Jun 21, 2011 in Blog, vida | No Comments

O primeiro episódio começou com um belíssimo amanhecer seguido do despertar da menina mais linda do mundo – essas coisas que amolecem o coração do telespectador. Então a protagonista toma banho e vai preparar o café da manhã para esse novo dia quando percebe que seu cachorro comeu algo malévolo e defecou litros por toda a cozinha. Nessas horas o telespectador pensa “puts, ainda bem que isso não aconteceu comigo”. É, não foi o que a protagonista pensou. Ela limpou tudo enquanto respirava pela boca e fazia de conta que estava brincando na neve de Nova Iorque. Mentira: ficou ali limpando, se sentindo sua dignidade se esvair pelos dedos, entre desinfetante e rolos de jornal. Por razões óbvias, desistiu do café da manhã. Então resolveu se purificar – primeiro com álcool gel – indo para o trabalho de bicicleta.

Aqui entram os comerciais, a chamada para os outros programas e tudo mais. Volta para a vida da dita e ela está com o capacete na cabeça. Desce o elevador se sentindo a deusa grega da vitória, até perceber que o selim está solto. Dá um jeito de apertar os parafusos com as ferramentas do zelador e quando o hino da determinação está prestes a tocar, ela percebe que os pneus estão vazios. Desistir ou continuar? Jamais desistir. Foi empurrando a bike até o posto de gasolina quatro quadras acima. Encheu os pneus e seguiu pedalando trêmula e cambaleante, mas feliz. Até que o selim cedeu de novo. Aqui a edição mostra o selim cedendo mais umas doze vezes e ela apertando os parafusos com um alicate genérico.

Mas daí ela chegou no trabalho. E quando chegou, se sentiu assim:

PS. Aí todo mundo ficou feliz com ela no trabalho e foi proclamado o Dia do Capacete.