PALA V R A S

Posted by on Jan 13, 2015 in Blog, eu que fiz, texto | No Comments

Emília tinha essa compulsão por desintegrar pala v r  a   s. E recombinar letras até formar novas palavras. E depois fazer tudo de novo. Gostava de se sentir uma versão feminina de Victor von Frankestein nas noites de terças e quintas: o filho e o marido saíam para jogar futebol. Quando a chamavam de terrorista ortográfica, ela sorria e acariciava sua vítima da vez. Um vizinho chegou a chamar a polícia ao vê-la, pela janela, modificando um TERMO, que em menos de um segundo virou TEMOR. Ele entendeu a mensagem como ameaça e discou 190 no telefone fixo. A polícia recomendou ao vizinho jogar uma gramática pela janela no mesmo momento em que ela trocava a ordem das sílabas e… MORTE. Sentiu a famosa pontada no coração, a mesma que precede o fim de milhares de personagens na televisão e no cinema. Agonizando, ainda conseguiu pedir ajuda ao policial no telefone. “Liga pro 192″ foram as últimas palavras que ouviu antes de morrer. Emília soube da morte do vizinho no dia seguinte, ao levar o lixo para fora contendo pó de café, papel higiênico usado, restos de vegetais e letras dissecadas.

Leave a Reply