Reconstrução total

Posted by on Jul 8, 2016 in Blog, eu que fiz, texto, vida | No Comments

O cheiro do shampoo das promessas de reconstrução total invadiu o quarto comigo a uma e meia da manhã. Corpo estafado não por esforço físico, mas por reflexo da extrapolação de limite mental – feche os olhos, visualize a imagem de uma carne viva conceitual e me veja aí. Escorrego entre os lençóis sem roupa e com o peito pesado. Marido dormindo de um lado, a culpa acordada do outro e eu no meio. Eu topei trabalhar demais. Eu escolhi entrar nesse e no outro e no outro e no outro projeto também. Eu decidi lidar com as coisas desse jeito. Eu fiz esse monte de escolhas equivocadas e agora não tenho mais capacidade de buffering pra lidar comigo mesma, com minha filha de cinco anos, com a vida em geral. Culpa me encara a três dedos de distância do meu nariz e o ar vai ficando escasso. Sensação de desamparo no silêncio da hora mistura com o barulho caótico de dentro da minha cabeça. Só quem não conseguiu achar o botão do choro por estar cego de desespero sabe como é o vazio de chorar a seco. Explosão contida numa caixinha de fósforo. E uma sirene acende.

Sistema de segurança entra em ação e distribui cobertores às vítimas da minha instabilidade emocional. “Acalmem-se, senhores, mapeamos uma crise depressiva se aproximando. Providências já estão sendo tomadas.” Inspiro e tento racionalizar. Deixo uma lata aqui e corro para longe com a outra ponta da corda. Depressão é uma doença sinistramente silenciosa. Me escondo debaixo da cama e a observo entrar no quarto com a certeza de é apenas uma questão de tempo até que ela me ache. Ouço seus passos rápidos, acompanho pequenos objetos caindo das estantes. Ela não vai me encontrar. Ela não vai me encontrar. Merda, ela me viu.

Ei, vem cá.” Marido acorda com a movimentação e me empacota dentro do seu abraço onde fico contida eu, minhas dificuldades, fantasias, frustrações e listas de tarefas. “Estou triste demais.” e ele aperta mais forte, sem dizer mais nada. Eu precisava disso. Não para dormir, mas para poder desistir de ficar acordada – o que pode parecer a mesma coisa, mas, você sabe, não é. Meu último pensamento antes de me entregar ao cansaço voltou para o cheiro forte do shampoo de reconstrução total. Se tivesse uma pontinha a mais de vitalidade quase teria rido do tamanho da ironia de querer aplicar na vida o que tenho usado nos cabelos.

Leave a Reply